domingo, 3 de abril de 2011

Wake me up when september ends - Parte 23


Mais tarde naquela noite, depois de comermos o habitual de sexta à noite, não nos levantámos da mesa. Deixámo-nos a conversar. Se nos últimos tempos eu falava bastante
sobre Ashton, daquela vez a situação inverteu-se. Jason finalmente falou de si. Eu pouco sabia sobre ele. Até àquela noite apenas sabia que gostava de estar com ele. Isso e que gostava de extra queijo na pizza.
E: Nunca me disseste por que razão te mudaste para aqui. Tenho que te pôr bêbedo para falares sobre a tua vida?
Ele deu uma pequena gargalhada e olhou para baixo. Deu para perceber que não era uma história com um final feliz.
E: Não tens de me contar.
J: Não, não faz mal.
Ele olhou para mim, inspirou e expirou fundo uma vez e começou a falar.
J: Eu vivia com a minha ex-mulher. O seu nome era Nicole. Foi um casamento estúpido e precipitado. Conhecíamo-nos há 6 meses. Os nossos pais eram contra a nossa relação, foi um acto de rebeldia também. Um dia cheguei a casa mais cedo para lhe fazer uma surpresa e descobri que tinha um caso com outro homem. É pena porque, apesar de ter sido um casamento precipitado só para chatear a nossa família, eu amava-a com tudo o que tinha.
Eu perguntei hesitante uma vez que ele não especificou:
Como é descobriste? 
J: Eles estavam a fazê-lo quanfo entrei em casa.
Custou-me ouvir aquilo. Não sei como é sentir-se traído, mas imagino que seja horrível. Senti-me um bocado mal por tocar naquele assunto tão delicado que, obviamente, o magoara bastante. E: Lamento muito...
J: Está tudo bem agora.
E: Tens a certeza? A traição não é algo que se cure assim tão depressa.
Ele passou as mãos pela cabeça, deu um murro na mesa e gritou:
Eu estou bem!
Eu fiquei chocada e um bocado assustada. Jason costumava ser muito calmo. Tinha sempre um sorriso na cara acompanhado pelo seu ar descontraído. Fiquei parada a olhar para ele bastante espantada. Ele levantou-se. Começou a ficar irrequieto e perturbado.
J: É- É melhor eu ir andando.
Tirou a camisola que lhe emprestara mais cedo rapidamente, vestiu a dele e proferiu um simples “Adeus” sem fazer contacto visual comigo e saiu.

5 comentários:

  1. obrigada querida, estou a seguir *

    ResponderEliminar
  2. Tenho acompanhado a tua história secretamente :$
    Gosto imenso dela, mesmo. Sempre achei lindo aquele amor 'de guerra' . Em que nao sabemos quando ele volta ou se lhe aconteçe alguma coisa. E ao retratares na tua historia, nao sei .. gosto imenso do modo como a escreves :)

    A praia é de longe o melhor sitio. A praia, o mar, aquele cheiro. Faz-me sentir livre e que tudo é possivel :D

    kiss, Al*

    ResponderEliminar